WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

ultimas noticias
ultimas noticias

link conquista

:: ‘DETRAN’

Carteira de habilitação fica mais cara; Veja os novos valores das taxas do Detran BA

Reajuste passou vigorar na segunda-feira (02).

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

As taxas dos serviços cobrados pelo Detran/Bahia já estão mais caras. Os novos valores sofreram reajustes em torno de 7% desde segunda-feira (02). Confira:

1ª Habilitação: de R$ 158 para R$ 168

Renovação: de R$ 132 para R$ 141

Adição de categoria: de R$ 132 para R$ 141

Licenciamento: de R$ 105 para R$ 112

Emplacamento: de R$ 194 para R$ 207

Vistoria: de R$ 88,30 para R$ 94,20

Transferência: R$ 161 para R$ 171

2ª Via da Habilitação: de R$ 82 para R$ 87,50

Desalienação: R$ 46,35 para R$ 49,45

Reboque: de R$ 287 para R$ 306

DPVAT mais barato

Já o seguro obrigatório DPVAT ficará 37% mais barato em 2017. Os proprietários de automóveis pagarão R$ 63,69 e não mais R$ 101,10. Já para os donos de motocicletas o valor caiu de R$ 286,75 para  R$ 180,65.

#perigosamente no trânsito

É você só pensando em você quando está com pressa.

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

Dirigir com pressa é um perigo para você e para todos no trânsito. Pense nisso e assista ao episódio PRESSA da campanha #perigosamente do Detran-PR.

Workshop de segurança viária discute redução de 30% das mortes nas estradas baianas

Durante o evento, gestores governamentais assinaram Termo de Cooperação Técnica para integrarem as atividades e acelerar a redução de acidentes. A Seinfra vai investir US$15 milhões nas futuras ações.

Foto: Ulgo Oliveira

Foto: Ulgo Oliveira

Na manhã desta quinta-feira (15), as Secretarias de Infraestrutura da Bahia (Seinfra) e da Segurança Pública realizaram o I Workshop de Segurança Viária do estado. Na ocasião, órgãos e entidades governamentais se reuniram para criar mecanismos para diminuir acidentes nas estradas baianas. Os representes do Governo assinaram um Termo de Cooperação Técnica, onde se comprometem em reduzir pelo menos 30% do índice de mortes, até 2020. O evento ocorreu no auditório do Centro de Operações e Inteligência, no Centro Administrativo da Bahia (CAB).

A Seinfra tem investido na melhoria da pavimentação e sinalização das rodovias, além de ampliar a fiscalização e ações educativas no estado. Com isso, durante o primeiro semestre deste ano houve uma redução de 11% no número de acidentes, em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com o secretário de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, com a assinatura do documento será implantada uma estrutura de governança, monitoramento e avaliação de segurança viária na Bahia.

:: LEIA MAIS »

Entidades do Governo firmam cooperação técnica para reduzir mortes nas estradas baianas

Acordo será assinado durante workshop de segurança viária, onde especialistas em trânsito discutirão estratégias para rodovias mais seguras.

Imagem Ilustrativa | Ulgo Oliveira

Imagem Ilustrativa | Ulgo Oliveira

Anualmente, 370 pessoas morrem em acidentes de trânsito nas rodovias estaduais da Bahia. Apenas no primeiro semestre deste ano, foram registradas 189 mortes, outras 412 pessoas ficaram gravemente feridas em decorrência de atropelamentos e colisões. Para reduzir o número de vítimas, o Governo do Estado está convocando órgãos e entidades de trânsito para firmar um Termo de Cooperação Técnica, onde se comprometem a criar políticas de redução de acidentes nas estradas baianas.

O documento será assinado na quinta-feira (15), durante o Workshop de Segurança Viária realizado pelas secretarias de Infraestrutura (Seinfra) e da Segurança Pública (SSP), no auditório do Centro de Operações e Inteligência, no Centro Administrativo da Bahia (CAB). Com o acordo, que envolve também a Polícia Rodoviária Estadual, secretarias de Saúde e Administração (por meio do Detran), pretendem atingir a meta de reduzir pelo menos 30% do índice de mortalidade no trânsito, até o final de 2020.

A falta de suporte e mapeamento completo de acidentes tornam os números ainda imprecisos. “Algumas vítimas, socorridas por parentes ou passantes, não são devidamente registradas.”, afirma Maria Amélia Amaral, coordenadora do Programa de Recuperação e Manutenção de Rodovias (PREMAR). O Programa vai destinar US$ 15 milhões para a Segurança Viária, com ações que vão desde a intervenção na geometria de trechos rodoviários inseguros, até a compra de radares e etilômetros.

Workshop

O primeiro Workshop de Segurança Viária ‘Década Mundial de Ações para a Segurança no Trânsito – 2011/2020: Eu sou +1 por um trânsito + seguro”, é uma iniciativa do Estado da Bahia, com o apoio técnico do Banco Mundial. Especialistas em trânsito vão discutir o modelo de gestão de segurança nas vias, além da criação do programa de prevenção de acidentes. Para Maria Amélia Amaral, a assinatura do Termo de Cooperação entre as entidades estaduais envolvidas com o tema cria o ambiente para que essas ações sejam adequadamente efetivadas. O evento é aberto ao público.

O quê: workshop “Década Mundial de Ações para a Segurança no Trânsito – 2011/2020: Eu sou + 1 por um trânsito + seguro”
Quando: 15 de Setembro de 2016
Horário: 8h30 às 12h10
Local: Auditório do Centro de Operações e Inteligência 2 de Julho
Endereço: 4ª Avenida s/n, Centro Administrativo da Bahia (CAB)
Inscrições: rodovias.seguras@infra.ba.gov.br

Fonte: Ascom/ SEINFRA.

Deficientes auditivos enfrentam dificuldades para se inserirem no trânsito

Do processo de habilitação às ruas, comunicação é o principal empecilho.

Prova teórica aplicada a um candidato surdo com intermédio de um intérprete pela primeira vez (Foto: Detran-SP)

Prova teórica aplicada a candidato surdo com intermédio de um intérprete pela primeira vez (Foto: Detran-SP)

Buzinas, ruído dos motores e do atrito entre pneu e asfalto compõe uma “sinfonia do trânsito” que, para muitos, gera estresse e aflição. Porém, para alguns, dirigir é uma atividade silenciosa e não é por opção. A estes, a principal barreira quando o assunto é trânsito não são os buracos na via ou os congestionamentos, mas envolve a comunicação com os demais usuários.

A reportagem de  Beatriz Souza, publicada pelo site Perkons, ouviu especialistas que atuam com a inclusão de deficientes auditivos no trânsito para conhecer quais os avanços e obstáculos ainda a superar para que condutores e pedestres surdos se desloquem com segurança.

O olhar impaciente dos outros motoristas denuncia o desconhecimento em relação à surdez do prof. Neivaldo Zovico, diretor regional da Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos de São Paulo (FENEIS) e coordenador nacional de Acessibilidade para Surdos. Depois de instantes sem entender o que acontecia, ele verifica pelo retrovisor a luz que indica a sirene ligada de uma ambulância que aguardava passagem. Recorrentes, episódios como esses colocam quem os vivenciam em uma posição embaraçosa. “As pessoas acham que somos mal-educados”, lamenta.

A experiência em uma instituição que reivindica os direitos dos surdos, somada a mais de três décadas de condução, fazem Zovico não ter dúvidas sobre o principal entrave para a inclusão dos surdos no trânsito. “O grande problema é que nem todas as autoescolas têm intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras). Como ela é o primeiro idioma dos surdos, antes mesmo do português, a falta de intérpretes e de provas adaptadas gera dificuldade de compreensão e entendimento por parte dos alunos surdos”,  pontua.

As dificuldades, entretanto, extrapolam o processo de obtenção da carteira e adentram a esfera da interação com motoristas não surdos, contratempo que ocasiona incidentes como o vivido por Zovico. Para conter estes casos, a Lei 8.160/1991 sugere o uso do Símbolo Internacional de Surdez adesivado na traseira dos veículos conduzidos por surdos como uma alternativa para indicar aos demais condutores que aquele motorista não irá responder a ruídos de sirenes ou buzinas, sendo a sinalização por faróis o recurso mais apropriado. A lei, contudo, não foi regulamentada e sua aplicação é, portanto, facultativa.

Com cidades mais acessíveis todos ganham

A legislação, porém, não é o único elemento a definir a rotina no trânsito dos deficientes auditivos. Seja como condutor ou pedestre, o surdo depende dos investimentos do Estado para uma infraestrutura acessível. Envolvido com propostas para acessibilidade, o estado de São Paulo, através da integração do Detran com o programa de Atenção à Acessibilidade, facilita o acesso de pessoas com deficiência no processo de habilitação. Com o projeto, apenas no período entre janeiro e abril de 2015, 18 mil candidatos surdos foram aprovados no exame. Em outubro do mesmo ano, a prova teórica passou a ser aplicada a esses candidatos com mediação online de um intérprete. “Essa é uma ação pioneira no país. Vale ressaltar que a função do intérprete não é ajudar o candidato a responder as questões, mas mediar a compreensão das perguntas”, declara a assessoria de imprensa do órgão, que afirma ainda que há, atualmente, registro de cerca de 310 mil CNHs para condutores com algum tipo de deficiência em todo o estado, condição sinalizada no verso da carteira depois de comprovada por médico credenciado pelo Detran.

A assessoria do órgão informa ainda que o candidato com deficiência auditiva não é obrigado a fazer as provas com um intérprete, porém, caso tenha preferência por este intermédio e a autoescola não disponha de instrutores habilitados em Libras, é possível fazer as aulas com acompanhamento de um intérprete particular ou parente próximo. “Em São Paulo, o Detran disponibiliza a aplicação dos exames teórico e prático com o acompanhamento de um intérprete em todo o Estado”, garante.

Outra cidade que tem encabeçado ações e projetos para atender usuários com algum tipo de deficiência no trânsito é Curitiba. “Contamos com inúmeras ações na área de acessibilidade e mobilidade urbana, como os semáforos sonoros e de aumento de tempo em travessias”, enumera a secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Curitiba, Mirella Prosdócimo. Um dos exemplos destinado especialmente a pedestres com mobilidade reduzida, como idosos e cadeirantes, é o Cartão Respeito, adotado em 31 semáforos para aumentar em até 50% o tempo disponível para travessia.

Detran alerta para uso seguro do Pokemon GO

Órgão conscientiza sobre os perigos da falta de atenção ao atravessar ruas e, também, ao volante.

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

O Departamento de Trânsito do Paraná (Detran) alerta motoristas e pedestres para os perigos do jogo de realidade aumentada Pokemon Go, lançado semana passada no Brasil. A autarquia vai usar as redes sociais na tentativa de conscientizar os paranaenses sobre os perigos da falta de atenção ao atravessar ruas e, também, ao volante.

“Usar o celular aumenta em até 400% o risco de acidentes de trânsito. Por isso, o Detran faz este alerta para os perigos deste novo jogo, que pode comprometer ainda mais a segurança viária, consequentemente aumentando os riscos de acidentes e mortes”, compartilha o diretor geral do Detran, Marcos Traad.

A multa para quem conduz um veículo manuseando aparelhos celulares irá passar de média para gravíssima em novembro deste ano. Desta forma, o condutor que jogar o Pokémon Go enquanto dirige poderá ser multado em R$ 293,47, além de ser penalizado com sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Atualmente, a infração é considerada média, e o condutor que for flagrado pode pagar R$ 85,13 e receber quatro pontos na CNH. “Além do perigo de dirigir ao celular, o condutor também deve ficar atento a outras infrações, como estacionar em local proibido para pegar um pokémon ou parar em um viaduto, colocando a sua vida e a dos outros em risco”, comenta Traad.

Pedestres

Digitar, ler e falar ao celular enquanto caminha compromete a atenção do pedestre em até 80%. Segundo um estudo feito pelo Jornal PLOS, dos Estados Unidos, que é voltado para pesquisas de ciência e medicina, um indivíduo que faz uso do celular enquanto caminha tem dificuldade de andar em linha reta e sua velocidade é 20% a menos de um pedestre que não faz o uso do aparelho, enquanto percorre o trajeto.

Desatentos, os pedestres não escutam os sinais de alerta do trânsito, como buzinas, freadas e em alguns casos atravessam a rua sem olhar a sinalização. Os riscos dessas atitudes podem ser fatais, por isso é importante que o novo jogo seja realizado em lugares seguros. Fonte: Portal do Trânsito.

Região Sudoeste: Junta Médica Especial do Detran oferece comodidade aos deficientes

Interessados devem procurar a Ciretran do seu domicílio com RG, CPF e comprovante de residência atualizados.

Blog-Transitar-42

Imagem Ilustrativa

O Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-BA) realiza, nos dias 16 e 17 de julho, a avaliação médica de pessoas com deficiência, no Polo de Jequié, no sudoeste do estado. A ação vai beneficiar também moradores dos municípios de Vitória da Conquista, Brumado, Guanambi e Itapetinga que desejam obter o renovar a CNH.

Segundo o órgão, o trabalho será feito em parceria com a 7ª Circunscrição Regional de Trânsito. “É muito aguardada a chegada da junta aqui na região, porque evita o deslocamento do deficiente físico para Salvador. Uma grande parcela de interessados já tem nos procurado para agendar a perícia”, relata o coordenador da Ciretran, Lucas Prado.

Os interessados devem procurar a Ciretran do seu domicílio com RG, CPF e comprovante de residência atualizados. Com a aquisição do laudo o candidato se apresenta à clínica conveniada, que verificando a deficiência faz o encaminhamento à junta médica especial que fará a análise do caso.  “Às vezes, o cidadão percorre grandes distâncias e não consegue fazer a perícia por falta de documentação médica. O objetivo do governo é facilitar a vida de quem tem limitações físicas e vive no interior do estado, mas é preciso estar atento às exigências legais”, explica a coordenadora de Saúde do Detran, Isis Nunes Medeiros. Com informações do Detran-BA.

Detran Tocantins promove curso de Defesa Pessoal para Agentes de Trânsito Estaduais

Treinamento de defesa pessoal busca dar preparo adequado aos Agentes de Trânsito que, por vezes, se vêem em situação de exposição.

Foto: Félix Carneiro | Governo do Tocantins

Foto: Félix Carneiro | Governo do Tocantins

A Gerência de Fiscalização e Segurança do Detran, em parceria com a Federação Tocantinense de Kung Fu, iniciou nesta semana o curso de defesa pessoal com os Agentes de Trânsito estaduais da capital. A iniciativa, futuramente, será implantada também nos pólos de fiscalização de Araguaína e Guaraí.

A disciplina de defesa pessoal faz parte da grade do curso de formação de Agentes de Trânsito e, desta forma, o objetivo do curso ministrado pelos senseis – mestres ou professores – Francisco de Assis Alves e Dionísio Miranda, é de atualizar os agentes das técnicas de defesa pessoal.

Somente em Palmas são 40 Agentes de Trânsito envolvidos no projeto. A agente de trânsito, Mara Freire, que participou do curso comentou a importância da iniciativa. “A defesa pessoal é uma necessidade, uma vez que trabalhamos nas ruas. É preciso ter esse preparo, sempre visando à segurança e não o enfrentamento. Essa é uma oportunidade de reforço das técnicas que aprendemos durante o curso de formação”, explicou a servidora pública.

Segurança e Prudência

O treinamento de defesa pessoal busca dar preparo adequado aos Agentes de Trânsito que, por vezes, se vêem em situação de exposição. O preparo visa evitar que eles sofram agressões, como explica o gerente de Fiscalização e Segurança do Detran-TO, capitão Geraldo Magela. “Essa prática é importante para que em uma abordagem, no caso de algum condutor se mostrar exaltado, os agentes saibam técnicas para evitar agressões”, pontuou. Fonte: Detran Tocantins.

Mitos e verdades sobre a carteira de habilitação

Muito do que se propaga pela internet sobre o trânsito é falso.

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Muito do que se propaga pela internet sobre o trânsito é falso. Aconteceu com as multas de trânsito, com o golpe do IPVA e, constantemente, o internauta “esbarra” em conteúdo errado sobre a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

A CNH permite conduzir o veículo em todo o território nacional e em alguns países que mantêm acordo com o Brasil. Em São Paulo, são 22,6 milhões de carteiras de motoristas, sendo que 6,3 milhões – 27,8% – estão na capital.

Para que o leitor esteja bem informado sobre este documento, o Radar Nacional reúne agora informações do Detran- SP que esclarecem algumas dúvidas comuns sobre a CNH. Confira o que é mito e verdade:

O condutor pode dirigir com a CNH vencida por até 30 dias.

VERDADE. A legislação federal de trânsito permite que o motorista conduza normalmente por até 30 dias corridos após o seu vencimento, sem o risco de ser multado por portar documento fora da validade.

A renovação da Carteira Nacional de Habilitação é obrigatória mesmo que o cidadão não dirija.

MITO. Só quem faz uso da habilitação para conduzir veículo precisa renová-la.

:: LEIA MAIS »

Exame toxicológico volta ser obrigatório na Bahia

Desde o dia 01 de junho, os motoristas das categorias C, D e E devem passar pelo procedimento quando da mudança ou renovação da carteira.

O Carreteiro

Imagem Ilustrativa – O Carreteiro

Foi revogada a decisão judicial que suspendia a obrigatoriedade dos exames toxicológicos na Bahia. Desde o dia 01 de junho, os motoristas das categorias C, D e E devem passar pelo procedimento quando da mudança ou renovação da carteira. A decisão proferida pelo desembargador federal Kassio Marques, do Tribunal Regional Federal (1ª Região), anulou a sentença da 12ª Vara da Seção Judiciária da Bahia.

A Associação Brasileira de Provedores de Serviços Toxicológicos de Larga Janela de Detecção (Abratox), que representa algumas das clínicas autorizadas a fazer o exame no país, havia entrado, há dois meses, com um recurso contra a liminar obtida pelo Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-BA) no último 8 de abril que determinava a suspensão da obrigatoriedade. À época, o órgão estadual alegou falta de aplicabilidade técnica e alto custo para os motoristas derivados da medida, além da falta de laboratórios. O polêmico exame, que se tornou obrigatório com a Lei Federal 13.103/15, serve para averiguar se o condutor consumiu drogas ilícitas nos 90 dias anteriores à análise.

Segundo a Abratox, os seis laboratórios credenciados pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) contam com 228 pontos de coleta na Bahia e cerca de 4.500 por todo Brasil. Na decisão, o desembargador destacou que somente na hipótese de comprovação da incapacidade dos referidos laboratórios em atender à demanda para realização dos exames e de total falta de estrutura administrativa dos órgãos estatais poderia o Detran-BA “se eximir do cumprimento da lei”. Colaboraram Carlos Clayton e Tiago Barros. Fonte: A Tarde.

manual fiscalizacao transito

alto escola transito rapido

twitter
facebook

ultimas noticias
fevereiro 2017
D S T Q Q S S
« jan    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728  
WebtivaHOSTING | webtiva.com . Webdesign da Bahia